25 dezembro 2011

Feliz Natal!!!


18 dezembro 2011

Emoção

Algumas coisas que escrevemos mostram nosso caráter.
Outras mostram apenas o que queremos ser.
Nem tudo é realidade em contos e poemas.
Nem todos dizem o que realmente deveriam dizer.

Músicas que falam de amor podem esconder ódio.
Paixões mal explicadas podem ser só tesão.
Rancor sem entendimento pode ser amor.
Mas nada é tratado sem ter emoção.

Henrique Corrêa

29 novembro 2011

Uma criança

Como cantar uma simples canção faz feliz uma criança!
Gostaria muito de voltar a ter a alegria instantânea.
Aquela que se inflama com um simples sinal ou gesto.
Aquela que não conta o que se fazia no segundo anterior,
Apenas sente, e transmite o sentimento, a quem nos rodeia.

Ah! Como eu quero o poder de ser bajulado apenas para ouvirem minha gargalhada.
Ser compreendido mesmo quando quebro objetos valiosos.
Ter amigos que não pensam no que eu tenho a oferecer.

Ah! Como eu quero poder ver alguém sorrindo só por eu sorrir também.
Ter alguém que me cuide mesmo quando já estou bem.
Ser alguém que acalma só pelo fato de eu estar presente.

Como cantar uma simples canção faz de mim um homem melhor
E não me calarei mais depois desses versos,
Pois o que eu mais quero é voltar a ser criança...

Autor: Henrique Corrêa

21 novembro 2011

Leituras para 2012

Dica de leitura, chegaram pra mim hoje:

Trilogia: As Crônicas de Gelo e Fogo
 - A guerra dos tronos
 - A fúria dos reis
 - A tormenta de espadas

e a "Trilogia de Cinco" como o próprio autor diz...
 - O Guia do Mochileiro das galáxias
 - O restaurante no fim do universo
 - A vida, O universo e tudo mais
 - Até mais, e obrigado pelos peixes
 - Praticamente Inofensiva

Leitura garantida para 2012...
assim espero eu...

26 outubro 2011

Não achei meu coração no lixo

Independente do que aconteceu...
Foi de coração.
Foram meus sentimentos em jogo também,
Não só os seus...


Cansei de ouvir "eu te amo"
Pois foi bem mais que precipitado.
Eu esperei apoio e dei paixão
O que não foi de coração, foi pensado

Insensato, indiferente ou incompleto
Foi tomado uma decisão com atitude
Não sei bem se o que fiz foi certo
Só sei que tentei não ser rude

Mas o tempo nos mostra verdades
Vivenciando se descobre o mundo
Percebi reações cheias de maldade
Mas não podia ter ficado mudo

Por não saber cuidar da situação
Perdi o sabor de uma boa conversa
Perdi o sentimento em minha feição
Quis resolver tudo e com pressa

Eu não achei meu coração no lixo
Eu não preciso suportar rancor
Eu não aguento mais perseguição
Eu não aceito mais falar de amor

Um dia mudo e volto à mesma fase
Aquela que tudo parece perfeito
Sem preocupar se vou sentir saudade
E sem guarda mal nenhum em meu peito

Henrique Corrêa

14 outubro 2011

Again

Refazendo...
Repensando...
Repaginando...
Remodulando...
Reformulando...
Redirecionando...
Reconstruindo...
Resumindo...

... mas sem ...

Rebobinar...
Retornar...
Regressar...
Restituir...
Remediar...
Regredir...
Recursar...
Reparar...

04 outubro 2011

Carta de um Eremita

Estou escondido, precisando respirar e retirar o mal que insiste.
Isso acontece de tempos em tempos, desde os primórdios de meus pensamentos.
Uma fuga que parece sem sentido, mas aguça todos os sentidos.
Uma busca por nada, pois o nada me parece a origem de tudo.

É um local vazio e escuro, pobre e sujo,
Onde os gênios não pensam, os crentes vivem
Onde os loucos são normais, os pobres, iguais
E onde o que queremos não importa nem à nós

E mesmo indo longe, buscando o nada, partindo
Mesmo não querendo ser, nem ter, nem saber porque
Mesmo fugindo ao máximo de tudo
O tudo me segue, e não consigo chegar

Eu não queria parar neste lugar,
Ele é apenas meio do caminho de meu destino
Meu destino é bom, brilhante e sensato
Onde estou sou um simples aprendiz.

E aqui só se aprende errado, só se usa o medo
Perdemos a noção do que é exato
Perdemos sentimentos e desejos
Perdemos-nos na vida, esquecendo

É ilusão o que penso hoje
Mas cheguei aqui com as próprias pernas
Preciso sair com sua ajuda
Mas você, mesmo querendo meu bem, não o faz

Henrique Corrêa

30 setembro 2011

Coisas Estranhas Tem Acontecido

Santo Deus, este quarto sujo...
Esta tarde nublada...
Eu estou respirando nesse silêncio como nunca havia feito

Este sentimento que eu sinto...
Este último cigarro...
Como eu fico acordado e espero por você entrar por aquela porta

Ah, talvez eu possa dividir isso com você
Eu me comporto, então eu posso dividir isso com você.

Você não está sozinha, querida solidão
Você esqueceu, mas eu lembro disso

Então, coisas estranhas têm acontecido, eu sei
Eu não estou sozinho, querida solidão
Eu esqueci que eu me lembro disso

Eu sonho com algum lugar
Uma fumaça encherá o ar

Como eu fico acordado e espero por você sair por aquela porta

Eu posso mudar, mas quem você quer que eu seja?
Eu sou o mesmo, mas quem você quer que eu seja ?

Você não está sozinha, querida solidão
Você esqueceu, mas eu lembro disso
Então, coisas estranhas tem acontecido, eu sei

Dave Grohl, Taylor Hawkins, Chris Shiflett e Nate Mendel
Tradução de "Stranger Things Have Happened"
Echoes, Silence, Patience & Grace - 2007

27 setembro 2011

Nada mais

Não me vejo mais
Não sei mais quem sou
Nem se sou capaz
De dizer "Amor"

Eu queria a paz
Só vejo rancor
E o "Nada Mais" foi o que restou


Nada mais

Seja nesta chuva
Ou até no sol
Eu só vejo a lua
Tremo em meu lençol
Ainda quero a paz
Não guardo rancor
Mas o "Nada Mais" foi o que restou

Nada mais

Não adianta mais viver por amor
Se o que eu vivi só me machucou
Não conheço, agora, mais nenhum sabor
E o "Nada Mais" foi o que restou


Henrique Corrêa

Este texto foi escrito e musicado em 1999, mas não tinha postado aqui ainda.
Logo vou gravar um vídeo com ele e posto também.
Obrigado

16 setembro 2011

Não é tão fácil como você pensa

Não é tão fácil como você pensa
Também sofro por dentro
Sei que sofres muito mais
Mas é a vida
E, às vezes, somos racionais demais
Ou idiotas demais

Não é tão fácil como você pensa
Saber que posso estar errado
E perder o que um dia já foi mais que tudo
E viver com a dor de não ter mais

Não é tão fácil como você pensa
E também não é pra tirar vantagem
Muito menos por inveja ou medo

É... talvez seja por medo
Mas não se sabe o que vai dar certo
E alguns desistem antes dos outros
E alguém sempre sai triste no fim

E já pensou se eu estou correto?
Já percebeu que você pode mais
E se culpar não adianta tanto?
Ainda penso em curar seu pranto
Mas o amor se foi, não volta atrás

Nem sei dizer o que foi mais difícil
Nem sei porque ainda penso nisso
Nem sei se fiz tudo o que fui capaz

Eu preferia ter não lhe encontrado
Nem lhe deixado todos os recados
Eu deveria ter errado ou pecado
Eu deveria não existir mais

Henrique Corrêa

06 setembro 2011

Sua Beleza

A sua beleza se transportou à tudo o que vejo
Se misturou em cores e sons nascidos da natureza
Me elevou ao extremo ponto do azul infinito
Onde eu pude ver de camarote o que há de mais bonito

E sua presença se instalou em todos os lugares
Tomando posse de pequenos e grandes monumentos
Não há retratos, quadros, genios e pintores
Que adiante não lhe usarão em suas obras

Com a imponência das Pirâmides de Quéops
A vida nobre dos Jardins da Babilônia
A segurança do Colosso de Rodes
E a nobreza do Templo de Diana

No momento em que mostrou o seu sorriso
Surgiram novos sonhos e novas formas
Trouxe de volta a paz em todos os sentidos
Ninguém ouviu falar mais de Gomorra

Quero banhar-me com você no Nilo
Provar teu doce, sentir sua tez
Mostrar a ti, teu rosto refletido
Pra ver o quão bonita Deus à fez

Henrique Corrêa

01 setembro 2011

Sentimento x Razão

A razão de existir emoções é simples.
Não há razão, apenas emoção.
E na verdade, precisamos de emoções.
Todos precisamos.

Sentir é sempre bom,
Mesmo quando o sentimento é ruim.
Sentir nos faz viver e conviver.
Todo sentimento muda alguma coisa.
Ás vezes para melhor,
Outras para pior,
Mas sempre muda.

Precisamos de sentimentos.
Falta sentido em nossa vida.

Na verdade, não é isso que acontece
Apanhamos diáriamente
Botamos pra fora.
Sentimos muito...

Henrique Corrêa

01 agosto 2011

Interpretação

Não foi bem assim como você diz
E você sabe melhor que ninguém
Por falar melhor que eu
Sabes que pode me calar

Eu nunca quis teu mal, meu bem
Nem pensei que iria te deixar
Quando me olhou sem voz
Como eu não poderia achar

Que mais alguém não existia
Que meu sonho era uma simples fantasia
Uma mera interpretação
Uma ilusão infantil e fim

Não foi pior pra mim, eu sei
E não seria nada bom continuar
O que passei, você criou
E nem tentou se desculpar

Me fez sentir culpa também
E se isentou ao esnobar
Tudo o que eu tinha pra dizer
E até chorou, me fez pensar


Que existia sim um outro alguém
Que seu sonho era uma triste melodia
Uma mera interpretação
Uma ilusão infantil e fim

Henrique Corrêa

20 julho 2011

Eu vi

Eu vi
Sem querer
Mas vi

Vi coisas que imaginei jamais ver
Vi o que acontece quando você não quer que aconteça
Vi o que você faz quando ninguém te vê

Senti
Sem querer
Mas senti

Senti que nada sairia do lugar
Senti que você não estava lá
Senti o que não devia ter sentido e o que não tem sentido

E aconteceu o que eu não via
E surgiu o que eu não sentia
E você voltou

Henrique Corrêa

08 julho 2011

Um dia qualquer

Um dia assim tão frio sem você aqui.
Um dia assim tão limpo, e eu aqui.

Tanta coisa pra se fazer e eu sem vontades.
Tanto brilho pra cuidar e eu sem vida.

Venha,
Trate-me como deveria ser.
Não se comporte comigo.
Não concorde com mais ninguém.

Venha,
Cuide do que é seu
E não espere para ser mais querida que já é

Esqueça quem não te entende
E perdoe-os depois

Aproveite meus momentos
Ajude-os a crescer
Faça parte

Henrique Corrêa

08 junho 2011

Estou feliz com você

Estou muito feliz com você
Sei que temos qualidades
Sei também que tem defeitos
Sei que talvez nem sejamos feitos
Um pro outro
Mas estou feliz com você

Estou muito feliz por você
Apesar das atitudes
Sei que você tem virtude
Sei que a vida não é fácil
Um com o outro
Mas estou feliz por você

Eu aprendi com você
Coisas ruins e coisas boas
Coisas fúteis, coisas tolas
Coisas que nem vêm ao caso
Ou não causam nada
Mas aprendi muito com você

E assim penso em você
Vivo em você
Sinto você
Quero você
Sempre você

Henrique Corrêa

10 maio 2011

Perder

Não sei bem o que é
Apenas acontecem coisas
E somente coisas errada

Não é facil aceitar tudo o que acontece conosco
E tem coisas que carregamos como um peso
E ainda insistimos em aceitar

Nem sempre é por amor
As vezes é por medo
Nem sempre é por medo

Conquistamos e perdemos
Perdemos e retomamos
Retomamos e deixamos escapar

O que a loucura ou a razão têm com isso?
O que o amor ou o ódio tem com isso?
O que eu tenho com isso?


Henrique Corrêa

28 abril 2011

Big Brother Brasil

Achei este texto muito bom e resolvi compartilhar aqui no blog.

BIG BROTHER BRASIL
Autor: Antonio Barreto, Cordelista natural de Santa Bárbara-BA, residente em Salvador.

Curtir o Pedro Bial
E sentir tanta alegria
É sinal de que você
O mau-gosto aprecia
Dá valor ao que é banal
É preguiçoso mental
E adora baixaria.

Há muito tempo não vejo
Um programa tão ‘fuleiro’
Produzido pela Globo
Visando Ibope e dinheiro
Que além de alienar
Vai por certo atrofiar
A mente do brasileiro.

Me refiro ao brasileiro
Que está em formação
E precisa evoluir
Através da Educação
Mas se torna um refém
Iletrado, ‘zé-ninguém’
Um escravo da ilusão.

Em frente à televisão
Lá está toda a família
Longe da realidade
Onde a bobagem fervilha
Não sabendo essa gente
Desprovida e inocente
Desta enorme ‘armadilha’.


Cuidado, Pedro Bial
Chega de esculhambação
Respeite o trabalhador
Dessa sofrida Nação
Deixe de chamar de heróis
Essas girls e esses boys
Que têm cara de bundão.

O seu pai e a sua mãe,
Querido Pedro Bial,
São verdadeiros heróis
E merecem nosso aval
Pois tiveram que lutar
Pra manter e te educar
Com esforço especial.

Muitos já se sentem mal
Com seu discurso vazio.
Pessoas inteligentes
Se enchem de calafrio
Porque quando você fala
A sua palavra é bala
A ferir o nosso brio.

Um país como Brasil
Carente de educação
Precisa de gente grande
Para dar boa lição
Mas você na rede Globo
Faz esse papel de bobo
Enganando a Nação.

Respeite, Pedro Bienal
Nosso povo brasileiro
Que acorda de madrugada
E trabalha o dia inteiro
Dar muito duro, anda rouco
Paga impostos, ganha pouco:
Povo HERÓI, povo guerreiro.

Enquanto a sociedade
Neste momento atual
Se preocupa com a crise
Econômica e social
Você precisa entender
Que queremos aprender
Algo sério – não banal.

Esse programa da Globo
Vem nos mostrar sem engano
Que tudo que ali ocorre
Parece um zoológico humano
Onde impera a esperteza
A malandragem, a baixeza:
Um cenário sub-humano.

A moral e a inteligência
Não são mais valorizadas.
Os “heróis” protagonizam
Um mundo de palhaçadas
Sem critério e sem ética
Em que vaidade e estética
São muito mais que louvadas.

Não se vê força poética
Nem projeto educativo.
Um mar de vulgaridade
Já tornou-se imperativo.
O que se vê realmente
É um programa deprimente
Sem nenhum objetivo.

Talvez haja objetivo
“professor”, Pedro Bial
O que vocês tão querendo
É injetar o banal
Deseducando o Brasil
Nesse Big Brother vil
De lavagem cerebral.

Isso é um desserviço
Mal exemplo à juventude
Que precisa de esperança
Educação e atitude
Porém a mediocridade
Unida à banalidade
Faz com que ninguém estude.

É grande o constrangimento
De pessoas confinadas
Num espaço luxuoso
Curtindo todas baladas:
Corpos “belos” na piscina
A gastar adrenalina:
Nesse mar de palhaçadas.

Se a intenção da Globo
É de nos “emburrecer”
Deixando o povo demente
Refém do seu poder:
Pois saiba que a exceção
(Amantes da educação)
Vai contestar a valer.

A você, Pedro Bial
Um mercador da ilusão
Junto a poderosa Globo
Que conduz nossa Nação
Eu lhe peço esse favor:
Reflita no seu labor
E escute seu coração.

E vocês caros irmãos
Que estão nessa cegueira
Não façam mais ligações
Apoiando essa besteira.
Não deem sua grana à Globo
Isso é papel de bobo:
Fujam dessa baboseira.

E quando chegar ao fim
Desse Big Brother vil
Que em nada contribui
Para o povo varonil
Ninguém vai sentir saudade:
Quem lucra é a sociedade
Do nosso querido Brasil.

E saiba, caro leitor
Que nós somos os culpados
Porque sai do nosso bolso
Esses milhões desejados
Que são ligações diárias
Bastante desnecessárias
Pra esses desocupados.

A loja do BBB
Vendendo só porcaria
Enganando muita gente
Que logo se contagia
Com tanta futilidade
Um mar de vulgaridade
Que nunca terá valia.

Chega de vulgaridade
E apelo sexual.
Não somos só futebol,
baixaria e carnaval.
Queremos Educação
E também evolução
No mundo espiritual.

Cadê a cidadania
Dos nossos educadores
Dos alunos, dos políticos
Poetas, trabalhadores?
Seremos sempre enganados
e vamos ficar calados
diante de enganadores?

Barreto termina assim
Alertando ao Bial:
Reveja logo esse equívoco
Reaja à força do mal…
Eleve o seu coração
Tomando uma decisão
Ou então: siga, animal…

01 fevereiro 2011

Momentos

Houve um momento em que me perdi.
Como um poema que começa do fim.
Como este poema que já começou.

Houve acontecimentos que não compartilhei.
Não por não confiar eu seu amor,
Mas por apenas não ter contado a ti.

Houve segredos que não comuniquei.
Foi sem querer que o mundo girou
E não contei quando deveria me abrir.

Houve sucessos que não participei,
Palavras que nunca falei,
Adjetivos que não usei.

Houve histórias que não contei,
Mas ainda há tempo de contar
Como este este poema que já acabou.

Henrique Corrêa