05 outubro 2010

O Primeiro

Tenho que lhes mostrar o que sinto, o que gosto e o que pretendo.
É um mal que consome e, enquanto não é solto, perturba.
Meus ideais ainda são os mesmos, só mudou o tom da voz.
Quem me escuta e não tem medo, ajuda, apenas ouvindo.
Continuo chato, triste e sádico. Total ego!
Continuo letal e insensível comigo. Menosprezo.
Com você? Não sei mesmo o que fazer com você.
E nem tento descobrir. Esse jogo não cola comigo. Não mais.
Apenas pergunto. Uma única vez. E se não me disser, quem perde não sou eu.
Já pensou no que deseja?
Já sentiu o que precisava?
Já está satisfeita com o que tem?
Não deseja mais nada?
Então é minha vez, de novo. E de novo, de novo, de novo não tenho nada.
Na verdade tenho tudo, mas sempre penso que não tenho nada.
Eu quero é sempre mais.
De onde vier é lucro.
Lembra que sou egoísta?
As pessoas gostam de mim assim.
Por que eu gosto de mim primeiro.

4 comentários:

  1. Rapaz, muito bom seu post!
    É preciso coragem pra declarar que gosta de você primeiro. Apesar de ser de extrema importância o amor próprio, tem gente que acha isso egoísmo.
    Gostei mesmo do seu post.
    Parabéns!
    Bjs
    Barbie

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Bárbara!

    Vale comentar que falar dos outros é fácil... Realmente precisamos criar coragem e falar de nós mesmos. Mas muita coisa que está neste texto eu, na verdade, já ouvi, e depois tomei como crítica construtiva!

    Valeu!
    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Olá Henrique !

    Adorei o texto, verdadeiro, transparente e intenso !
    Parabéns, soube escrever de modo objetivo sem perder a beleza.
    Grande abraço !

    ResponderExcluir