30 outubro 2010

Tranquilo

Bonita,
Como uma poesia simples que se fez sorrindo.
Linda,
Como a leitura apaixonada de um poema lírico.

Suave,
Como a brisa que sopra leve
E move apenas os mais finos e soltos fios

E assim foi a primeira vez que vi.
Vi tudo isso, nem sei mais como explicar, mas vi.
E foi surgindo de dentro de mim uma força.
E foi crescendo, em mim, vontade.

E mal saí já sentia saudade.
Nem me vesti. Pensei maldade.

E ao ver de novo a nobre imagem,
Deitei-me tranquilo.
Acordei tranquilo.

Henrique Corrêa

20 outubro 2010

Qual o trabalho que te deu mais prazer em fazer e qual o que vc considerou mais importante?

Se tratando de música... Quando eu toquei no clube 7 de outubro em Ipatinga. Foi um encontro de motociclistas com um público enorme. Esse foi o que me deu mais prazer.
O mais importante foi o trabalho que fiz junto ao CCAC (clube-ccac.ning.com), apresentando o Sábado em Qualquer Tom. Esse evento reuniu vários artistas do ES. Conheci muita gente e apresentei meu nome ao estado, que até hoje ainda está carente de cultura, mas que cresce muito.

Agora na área de tecnologia, estou adorando trabalhar com sites de artistas e bandas. É muito bom juntar as duas coisas. O mais importante porém, é o trabalho que faço hoje, pois nosso software controla muitas movimentações, pessoas e dinheiro nos portos de todo o brasil.

Ask me anything

05 outubro 2010

O Primeiro

Tenho que lhes mostrar o que sinto, o que gosto e o que pretendo.
É um mal que consome e, enquanto não é solto, perturba.
Meus ideais ainda são os mesmos, só mudou o tom da voz.
Quem me escuta e não tem medo, ajuda, apenas ouvindo.
Continuo chato, triste e sádico. Total ego!
Continuo letal e insensível comigo. Menosprezo.
Com você? Não sei mesmo o que fazer com você.
E nem tento descobrir. Esse jogo não cola comigo. Não mais.
Apenas pergunto. Uma única vez. E se não me disser, quem perde não sou eu.
Já pensou no que deseja?
Já sentiu o que precisava?
Já está satisfeita com o que tem?
Não deseja mais nada?
Então é minha vez, de novo. E de novo, de novo, de novo não tenho nada.
Na verdade tenho tudo, mas sempre penso que não tenho nada.
Eu quero é sempre mais.
De onde vier é lucro.
Lembra que sou egoísta?
As pessoas gostam de mim assim.
Por que eu gosto de mim primeiro.