20 setembro 2010

Naquela Estrela

Veja meu sorriso naquela estrela
Onde o brilho parece uma festa
Chamo teu nome ao vento
Sinto teu cheiro de longe

Olha meu sorriso
Guarda na lembrança meu som
Estou tão perto
Contigo em pensamento

É como se minha alma te achasse
No final do arco-iris
És meu sonho real

Não posso te tocar
Mas posso te sentir
Te ouvir
Te cheirar
Porque em segredo
No meu segredo
Te desejo

Cris Leal

17 setembro 2010

Fim de semana

Mais uma sexta-feira
Mais um fim de semana
Será que sempre será assim?
Nunca acabarão os dias?

Vidas começarão a se interagir
Pessoas serão vítimas
Ou então serão suspeitos
De tudo, mesmo sem fazer nada

Amores chegarão ao fim
Ou começarão
Ou recomeçarão
Vai saber
A minha vida será a mesma
Ou não

Seremos escravos da bebida
Do cigarro
E de tudo o que faz bem, ou mal
Não importa, seremos escravos

Teremos mais tempo para passear
Ou para trabalhar
Eu para conversar
Ou para perder tempo

E perderemos tudo
E seremos nada
E chegará a segunda-feira

07 setembro 2010

Que nos amamos

Que quando escuto a chuva que cai sem piedade.
Que quando me vejo parada em meus pensamentos.
Que assim percebo que estas mais em mim do que sei.
Que sua voz ecoa num bailado de sons.
Que tua respiração é como o sopro da minha vida.
Que teu calor é a energia que move meu ser.
Que meus passos mais longes me levam a ti.
Que não há nada mais especial que você.
Que sou a pura felicidade ao teu lado.
Que meu olhar se perde no teu.
Que seu sorriso me alegra a alma.
Que sou realizada em teus sonhos.
Que sou teu farol em pleno dia.
Que tua chegada é uma festa.
Que tua presença é necessária.
Que teu amor é minha loucura e cura.
Que nos teus braços estou firme.
Que nas tuas mãos sei onde seguir.
Que tu és meu amor angelical.
Que sou intensidade em ti.
Que não há tristeza por que existis.
Que dia e noite se encontram.
Que os amores fortalecem por nós.
Que somos a força do vulcão, do trovão, do mar.
Que somos um em dois e dois em um.
Que sou você quando não estamos pertos.
Que és em mim quando as horas pra te ver não chegam.
Que nos amamos.

Cris Leal

03 setembro 2010

Cordel do encontro "Noites Autorais"

Em noite inspirada, ontem (02/09/2010) aconteceu o encontro de compositores "Noites Autorais" do Clube Capixaba de Artes e Cultura. Depois de um bom tempo sem cordelar, fui convidado a criar tal poema e, com um pouco de dificuldade, saiu. Acompanhem:

Me pediram quase que impondo
Pra voltar a fazer cordel
Me perdoe, já estou suando
Quase esqueço de trazer papel
Vou tentar ser simples e direto
Não prometo que vou ser discreto
Boa noite aqui no Grand Hotel

Bons amigos hoje reunidos
Gente nova que chegou também
Quae todos vieram munidos
De música, poesia ou alguém
Jovens músicos surgindo agora
Poetas chegam à toda hora
Me desculpe se eu faltar com quem

Nesta festa teve muita gente
Teve Sâmia Pablo e Katiane
Teve Graça, Heloisa e Sandra
Mirano Schuler, Helem, Alcione
Naita, Sônia e o Luciano
Quem cantou bem foi o Nano
E Simone trouxe um tal de Jony

Tatiana encantou com poesia
Foram palmas de menos pra ela
E Denise cantou com maestria
Mostrou música que nem é dela
Veio o Pedro, a Magda e o Bento
Toda a noite foi um bom momento
Muita gente linda e muito bela

A Paola veio com o Fred
Paulo Filho até compareceu
Chico Lessa cantou quase prece
O Nenéu parece que esqueceu
Luciene trouxe o Fabiano
A Marlete comemorou o ano
Não termino sem falar "di eu"

Obrigado à sua presença
Sei que você veio pra ficar
Em outubro, haja paciência
O difícil é ter que esperar
Ayrton, não esqueci de ti
Mês que vem espero vê-lo aqui
E espero vir pra cordelar

Henrique Corrêa
Cordel do encontro "Noites Autorais"
02 de Setembro de 2010

02 setembro 2010

Destino

Você já foi minha confidente
Já lhe dei tudo o que passei de ruim
Você, comigo, inconsequente
E passamos pouco tempo juntos
Você, por mim, indiferente
Quando precisei que fosse
Você, assim, tão paciente
E eu, sem interesses e poses.

Você provou pra mim o que quer
E não disse uma palavra
Você mostrou pra mim quem és
E simples, me cativara
Você sumiu de mim, sem rastros
Deixou saudade indubitável
Você, hoje, pra mim, mulher
E eu em uma procura insaciável

Henrique Corrêa