29 novembro 2009

Momento Mágico

Meio que por encanto
Fui ficando
Meio sem jeito
Para meu espanto
Acabei sem medos

Naquele momento
O sol surgia
E eu, vestido para a noite
Ainda sem medos

Momento esse que pareceu eterno
Momento mágico
Daqueles que transformam sapo em principe
Daqueles que não saem da cabeça
Aquele momento

E tive medo
E tremi
E ganhei o mais doce beijo

Henrique Corrêa

21 novembro 2009

De volta à noite capixaba

A noite de ontem foi muito especial pois marcou minha volta ao cenário "musicultural" de Vila Velha. Depois de uma rápida conversa de bar, recebi o convite de me apresentar, junto com o baixista Zé Ricardo, em uma das casas mais badaladas da grande Vitória, o LePoint Acústico. Iniciamos a apresentação às 22:40 e só terminamos às 4:30 da manhã de hoje.

A apresentação foi uma surpresa para mim pois o LePoint tinha em seus cartazes, como atração principal, uma dupla seraneja de bom gabarito, e nosso som fica entre o "MPB" e o "POP ROCK". O palco principal teve a apresentação da dupla enquanto nós nos apresentamos em uma varanda na entrada que se popularizou como área para fumantes e comemorações particulares.

Fiquei mais surpreso ainda ao perceber que as pessoas que chegavam nesta área (de alta rotatividade) gostaram da apresentação e ficaram mais tempo do que pretendiam.

O público esteve sempre muito animado e cantou conosco as músicas do repertório, pediram outras músicas (alguns pedidos não foram atendidos mas serão preparados para próximas apresentações), dançaram, e alguns até me agradeceram no final. Na verdade sou eu quem agradece à resposta.

Não houve divulgação. Foi uma experiência, tanto para nós como para os donos da casa. O espaço foi utilizado para música pela primeira vez. Saberemos o retorno da vizinhança nesta semana e se tudo der certo, voltaremos todas as sextas-feiras.

Abraço a todos. Nos vemos pela noite.

08 novembro 2009

Ciências

Descobertas e avancos inúteis
Acabaram com o estoque de paz
Os estudos da ciência apontam
Que o mundo necessita de mais

Mais poder, mais sangue, mais lutas
Para repartir pedaços de chão
O que antes pertencia a muitos
É vendido agora por ambição

São montanhas de dinheiro em chamas
Destruidas por gases naturais
Os recursos valiosos da terra
São chamados de bens capitais

Para ficar longe desta batalha
Me perdi dentro de um computador
Uma interface grafica a mais
que me desorientou

* Esta música foi escrita em 11 de abril de 2005.
* Estava no ônibus e tive essa visão nova do mundo.
* Quem tem mais sempre quer mais e quem tem menos acaba ficando com menos ainda.
* Tudo gira em torno do dinheiro. Um Mundo cada vez mais capitalista.