29 julho 2009

Olhares Desviados

Eu era um jovem tolo, tosco
Pensava só em coisas irreais
Vivia uma ilusão medíocre
Com a pessoa errada, lugares imorais

Você tinha o seu jeito inocente
De gestos e olhares disfarçados
Mas sentia-se sempre muito carente
Nossos corações estavam enganados

Se tivessemos ao menos uma chance
De trocar olhares em vez de desviá-los
Se não fossemos parte de outro romance
Estaríamos juntos? Lado a lado?

Só um cara como eu não pôde perceber
Que o rumo da minha vida seria você
Hoje não há muitas coisas certas à fazer
A não ser viver a vida, tentar te esquecer
Mas a solidão que invade o meu peito
Necessita de sua presença para se acalmar
Vou jogar tudo pro alto e dar um jeito
Mas um dia ainda vou te reencontrar

E poderemos amar...

13 julho 2009

Carta de um pequeno morto

Falar de amor? Como?

Se ate hoje só o senti em meu coração, mas nunca o concretizei.

E o amor passou por entre meus dedos, mas foi tudo por minha culpa, sempre foi culpa minha. Hoje, só estou a colher o que plantei.

Vejo, nas profundezas infinitas, um deslumbrante abismo que parece me atrair. O brilho irresistível do abismo me arrasta. Estou sempre em movimento e nunca chego a lugar algum onde possa me encher de luz. Mergulho no infinito por uma eternidade.

Minha felicidade é como um perfume. Vivo inalando-a e ela vive me iludindo. É uma intoxicação renovada incessantemente, uma intoxicação que não se satisfaz.

Imaginem minha felicidade como um banho de mar, cheios de rairos de luz. O amor tem um pouco desses raios, mas contem também relâmpagos.

Suicídio é um ato de um viajante que tem a eternidade para percorrer e teme atrasar-se. Cometer suicídio é avançar o ponteiro das horas do relógio da vida. Deus quer que o homem viva, e por isso esconde dele a natureza da morte. Se cometer suicídio, o homem descobrirá o seu verdadeiro paraíso e talvez saber que não é paraíso...

Tudo vive, a geração gera a metempsicose

Um medonho sol negro de onde irradia a noite

No monstro ela expia, no homem ela repara...

Sim! Seu universo indomado esta condenado!!

Porque todos os seres se comportam mal, e geram na hora da morte, o mostro de suas vidas

Que acabara por domina-las.

Nos calabouços secretos de almas

Homem, espirito cativo os esculta…

E em sua mente duvida!

Quem sou eu??

Sou a ideia eterna. Sou real.

Só eu me completo por mim.

Sou a queda da alma entre o finito e o infinito.

Sou o braço da imensidão carregando o grão de areia e misturando-o a semente de fogo.

Sou o corredor que conduz as portas secretas

Meu semblante é esculpido pela própria criação; meus olhos são estrelas, meus ouvidos são o vento, minha boca é o abismo, minha pele é o céu.

Sou o retrato misterioso pendurado na parede da casa estranha

Sou a raiz da flor, a fecundação da rocha, o ferrão do inseto, a corrente do condenado, a asa do anjo.

Sou o carcereiro arcanjo q brilha na imensidão como o sol refletindo na forma de um colar de ferro.

Moro com o meu remorso, ele me bate sempre qnd vou entrar.

Minha punição se estende a mt tempo.. e só acabara no dia em que o mar invadir a minha rocha

O rigor de uma sentença ñ consiste em sua duração, mas sim, no fato se ser eterna ou não.

A montanha é minha tumba, eu sou a alma dela; ascendo e desço novamente

Desejo o céu e a terra me deseja

As estrelas puxam-me pelos cabelos, e caixão se agarra aos meus pés.

A escuridão grita: “fique de joelhos” mas o sol brada: “levante-se!”

Sou aquele que esta inconsolável , perdido em meio as trevas.

Choro, e as estrelas enxugam-me as lagrimas.

Choro nas profundezas do abismo de Deus

Choro dentro do sinistro barril ao qual as Danáides da infinidade cravejaram de buracos.

Sou aquele q esta inconsolável e paira no horizonte...

Estou sendo punido.

A punição trás tristeza.

A tristeza atrai o amor.

Que vem com as lagrimas que trazem os sorrisos.

Sem coração ou mente, levanto contra santos minhas garras sangrentas que se enterram e alargam a ferida, são os mártires agonizantes.

E que esta carta q agora acabo de escrever os meus mais profundos sentimentos seja digna de ser dejeto aos primeiros vermes junto ao meu cadáver.

Sim! Porque já me considero morto!

E que meu ultimo desejo, o único, seja realizado.. que caia examente nas suas mão e entre em sua mente essas palavras pára que percebas o quanto eu te amei por toda eternidade!

Mas fico feliz! Agora! Pq esse desejo acaba de ser realizado!! Porque você leu! E eu sei disso... Mesmo morto eu continuo te vigiando e te amando...