02 fevereiro 2009

Vida

No dia em que eu morrer
Não desejo morte sofrida.
Seja de morte matada,
Seja de morte morrida,
Ou por não temer a dor
Deixada por muita ferida.
Mas por enquanto, meu amor,
Eu quero aproveitar a vida.

Poesia de Henrique Corrêa

2 comentários:

  1. Lindas palavras que embelezam a vida!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Bela poesia, Henrique, parabéns!

    Abraços

    ResponderExcluir