25 dezembro 2008

O Novo Natal

O Natal é a época do ano que mais esperamos. É tempo de esperança, alegrias, renovação, presentes, menino Jesus, família, comida gostosa ( não necessariamente nesta ordem), e muita coisa boa. Mas todos nós sabemos que nem todos tem felicidade máxima no natal.

Eu nunca fui muito chegado nesta coisa de festas natalinas e de fim de ano. Apesar de minha família ser bastante católica, eu não sou. Sou mesmo um bom fã das festividades religiosas mas não do valor religioso delas.

Nem todos os meus natais foram legais, principalmente na minha adolescência. Algumas veze seu fugia das festas de natal motivado pela monotonia da reza ou pelo parente que ninguém gosta chato. Mal sabia eu o que estava perdendo. Para muitos adolescentes o ato de NÂO rezar/orar é "religioso". Eu era um destes que fugia das relações com a igreja e todas as suas derivações. E mesmo que não gostasse desta parte, lá estava eu na hora do "rango" e dos presentes. Também, a comida que minhas avós fazem são as melhores. Pena que quase nunca ganhava o que pedia pro Papai Noel.

Procurei saber, por muitas vezes sem sucesso, como o natal se tornou a época mais movimentada do comércio mundial, e meus presentes vinham errado. Será que o Pai Natal está velhinho? Está andando muito com aquele alemão, o Alzheimer, e anda trocando ou esquecendo as coisas? Será que o bom velhinho não é tão bom assim? Será que estou pedindo demais? Será que estou perguntando demais também? Se não dá pra ser o que quero eu poderia pelo menos escolher outra coisa em vez de ganhar um lenço ou uma cueca nova?

Achei algumas respostas e tentei me convencer com o fato de que o natal realmente foi criado pelo homem para, simplesmente, ganhar mais dinheiro vendendo qualquer coisa. E era justamente essa qualquer coisa que eu ganhava. Só que, com meus presentes, o homem não ganhava tanto dinheiro assim.

Passei a procurar pelas ruas algum motivo para o "tal bom velhinho" me esquecer. Antes de procurar com fé encontrei muitos motivos. Haviam, na calçada, algumas pessoas sem comida há dias, sem banho tomado há meses e, com certeza, sem dinheiro há anos.

O que aconteceu com o natal? O que aconteceu com o sonho das pessoas de mudarem o mundo?

Sem muito mais o que dizer, me despeço esperando que neste natal meu presente seja o que eu realmente pedi: Um abraço e um mundo com mais natal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário