17 outubro 2008

Não repare

Não repare se sou cego quando te vejo
Não repare se me esqueço não me lembro do que
Não repare, fico louco de desejos
Não repare se não posso ver

Não repare se arrepio com seu toque
Nem repare quando eu me perfumar
Não repare nos pecados cometidos
Nem espere por alguém me reparar

Não repare quando ando mal vestido
E nem mesmo quando não me pentear
Não repare meu momento adormecido
Não se espante com meu modo de olhar

Só repare o pensamento mais bonito
O equilíbrio que existe em nosso lar
O meu abraço em teu corpo exibido
O nosso gesto sem regresso a se exaltar

Henrique Corrêa

Nenhum comentário:

Postar um comentário