07 outubro 2008

Concurso de Poesias

Texto retirado do site Concurso Poemateca 2008.

Seria apenas mais uma noite entre amigos, se não resolvessemos que esta é a noite para abrirmos a porta de nossa casa a todos vocês.
E quando digo casa, é a respeito da morada de nossa alma, do lugar onde se esconde a alma poética que habita em nós.
Sempre digo que o criar é a base da minha vida, mas Fernando Pessoa, que é sempre uma inspiração a todos que já pensaram na forma mais pura de poesia, escreveu com mais glória:
“Viver não é necessário; o que é necessário é criar"
Portanto a criação se apresenta como a forma mais pura de expressar um sentimento, um estado de alma e por vezes se faz mais importante do que o viver. A frase reaviva a importância do criar para trazer o contentamento de alma.
Há os radicais, que preferem afirmar que só há o criar porque se faz nele o único motivo razoável para viver, porém de radicalizações não faremos base.
Por vezes podemos sentir como se criar fosse o próprio viver e sem a criação nos faltasse o ar, como se tornássemos seres ignóbeis, como se voltássemos a ser parte da ignorância total de que no fundo somos feitos todos.
O criar traz a oposição ao sentimento de vazio de nós mesmos e leva-nos ao mundo que existe na, e é sustentado pela, pura essência da vida mais condicionada à memória que ao próprio respirar (viver fisiológico).
E é com esse divino propósito que se estabelece o Concurso de Poesia Poemateca 2008, afinal, “o que é necessário é criar”.

Caso tenham alguma duvida, abrimos um canal de comunicação direta entre a coordenação e os participantes, há um link logo abaixo do menu do site para um chat, onde qualquer um poderá tirar as duvidas em relação ao concurso e seus propositos.

Abraços poéticos
Diogo Viana & Catiaho Alcantara


Ainda dá tempo de se inscrever. Clique em Concurso Poemateca 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário